quarta-feira, 30 de março de 2011

INFORMAÇÕES IMPORTANTES AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DE MG - Postado no Blog do CORLEONE


INFORMAÇÕES IMPORTANTES AOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DE MG - -

Depois de muitas perguntas, conseguimos mais uma entrevista com o Superintendente para sanar as dúvidas das dezenas de e-mails que tenho recebido. Divulguem este questionário, pois estas respostas vão dar um direcionamento para os agentes que pretendem tomar decisões com relação a concurso público e demais atividades que estão acontecendo atualmente. Desde já agradeço a atenção e consideração do Superintendente Hamilton por dispender tempo neste questionário que é de grande importância para a categoria.


Superintendente Hamilton Mitre



















(¯` · ._ ¦¬¦enrique Corleone - Sr. Hamilton, boa noite.
Tendo em vista o recebimento de várias dúvidas de ASP´s que eu recebo diariamente sobre diversos assuntos ligados ao Sistema Prisional, seria possível encaminhá-los sempre ao Sr. p/ resposta? Em caso afirmativo, poderia publicar no blog?




Superintendente Hamilton Mitre - Encaminhe, e na medida do possível vou respondendo. Tenho recebido dúvidas quanto a matéria do concurso. Como estou vendo que as perguntas na maioria são as mesmas, estou buscando parcerias (subsecretário, superintendentes, diretores, professores, entre outros) para responder em forma de vídeo para que possam ser usadas como vídeoaulas. A meu ver não haverá nenhum problema repassar para publicar no blog.



(¯` · ._ ¦¬¦enrique Corleone - 1 – A ASPMINAS está promovendo uma ação conjunta para buscar a efetivação e muitos agentes me enviam perguntas com algumas dúvidas que são as seguintes: Se a ação pode lhes atrapalhar na renovação de um novo contrato ou em um concurso. No caso do concurso, eu os respondi que não atrapalha, porém fiquei com dúvidas com relação à renovação do contrato e gostaria que o Sr. nos orientasse se existe impedimentos neste sentido.


Superintendente Hamilton Mitre - Não tem motivo para atrapalhar a renovação de contrato. Agora, sinto-me na obrigação de alertar a todos os Agentes de Segurança Penitenciários contratados que pesquisem antes sobre a possibilidade, não aceitem, nem assinem nada, sem antes saber as possibilidades que são remotas. Existem alguns casos de estabilidade precária cedida através de determinações do judiciário, porém, amplo e esmagadora são as decisões contrárias, por se tratar de assunto claramente especificado na Constituição da República Brasileira de 1988 quanto a investidura em cargo público. Se os Agentes Penitenciários querem buscar via judicial a estabilidade, boa sorte, porém, não deixem de estudar nem prestar concurso para a carreira. Não foquem apenas na ação.

(¯` · ._ ¦¬¦enrique Corleone - 2 – Quanto ao concurso de ASP 2011, o Sr. acha que devem continuar as mesmas matérias que foram do concurso anterior? Como Constituição, REDIPRI, LEP, Português e Direitos Humanos? Esta é uma dúvida que muitos agentes têm.


Superintendente Hamilton Mitre - Repitam o estudo nessas matérias que são básicas, quando tiver notícias do início das reuniões do concurso, e se houver alguma mudança, aviso a todos. Enviamos provas de outros concursos, prova do COPE, para começarem os estudos. (para os que enviaram e-mail  para cadastro na Suapi)



(¯` · ._ ¦¬¦enrique Corleone - 3 – Alguns agentes perguntam sobre o curso de Gestão Prisional. A dúvida deles é se o curso tem status de nível superior para, por exemplo, prestar concurso para a polícia federal. Se existe o curso à distância.

Superintendente Hamilton Mitre - O curso tem status de curso superior. Quanto a qualquer concurso incluindo o da PF, o Agente formado em Gestão Prisional (tecnólogo) deverá observar no Edital se está incluído nas possibilidades  além do bacharel e da licenciatura, o tecnólogo. Para dirimir qualquer dúvida, estou encaminhando e-mail a PF repassando a pergunta, sei que o Edital do concurso deles está pronto, porém por determinação do Governo Federal, adiaram para o ano que vem.

(¯` · ._ ¦¬¦enrique Corleone - Desde já agradeço à disposição de informar aos agentes sobre estas relevantes questões que ajudam eles a tomar algumas decisões importantes para suas vidas e de suas famílias. O outro conjunto de perguntas que foram respondidas por você ajudou muito os agentes, o número de acessos ao blog cresceu significativamente, se tornando uma fonte de utilidade e chegando á incrível marca de 300 acessos diários, mais de 06 mil mensais. Portanto só tenho a agradecer por vossa atenção e tempo dispendido neste seu nobre gesto de trazer informações técnicas importantes para a categoria. Transmito-lhe meus sinceros agradecimentos e asseguro-lhe que estaremos ansiosos aguardando os vídeos que auxiliarão os agentes na compreensão do conteúdo programático.



OBS: Atenção Agentes, divulguem para seus companheiros de trabalho estas informações. Tenho certeza que estas são as dúvidas de muitos, pois o conteúdo é assunto de 90 por cento dos emails que recebemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Concurseiro além de estudar precisa trabalhar o emocional

Não basta estudar para passar em concursos e provas, tem que saber trabalhar muito bem com o emocional, que pesará muito na hora. O mais comum é encontrar em cursos preparatórios pessoas que sabem toda a matéria “de cor e salteada”, mas, na feitura da prova, esquecem-se de vários detalhes e “pegadinhas” e caem em tudo.O melhor a fazer é ter auto-confiança. A pessoa deve ir ao local do concurso com o pensamento de que sabe a matéria e obterá nota boa. Aparecer no dia já com várias dúvidas e sem descansar é o pior dos erros.Mas, não pode ter muita auto-confiança. O concurseiro deve acreditar nele e não se gabar e já considerar 100% passado. Deve saber respeitar a prova e, ao mesmo tempo, acreditar em seu potencial.

Outra questão é saber fazer a prova. Não adianta perder muito tempo em questões de pouco valor (como, por exemplo em provas que há pesos diferentes para cada matéria) e chutar as provas do CESPE (onde um erro anula o acerto, ou seja, perde 2 do total).Nos simulados, deve estudar como se fosse para o dia!! Fazer o simulado só por fazer e de qualquer jeito é burrice, pois há perda de tempo e dinheiro, visto que maioria dos simulados é paga.E aqueles que se destacam são os disciplinados. É chato estudar X horas todo dia? Sim! Muito! Mas, se for disciplinado, acaba por se acostumar a esse “problema”. E outra, não adianta falar que amanhã estudará as horas que não estudou isso, pois chega a um dia que ele deverá ter 150 horas só pro “atraso”. E ande com as pessoas que estudam, pois você se sente motivado a ser melhor que eles ou não ser o pior do grupo. Parece besteira, mas ajuda!!


A política do pão e circo

Na Roma antiga, a escravidão na zona rural fez com que vários camponeses perdessem o emprego e migrassem. O crescimento urbano acabou gerando problemas sociais e o imperador, com medo que a população se revoltasse com a falta de emprego e exigisse melhores condições de vida, acabou criando a política “panem et circenses”, a política do pão e circo. Este método era muito simples: todos os dias havia lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu) e durante os eventos eram distribuídos alimentos (trigo, pão). O objetivo era alcançado, já que ao mesmo tempo em que a população se distraia e se alimentava também esquecia os problemas e não pensava em rebelar-se. Foram feitas tantas festas para manter a população sob controle, que o calendário romano chegou a ter 175 feriados por ano.

Esta situação ocorrida na Roma antiga é muito parecida com o Brasil atual. Aqui o crescimento urbano gerou, gera e continuará gerando problemas sociais. A quantidade de comunidades (também conhecidas como favelas) cresce desenfreadamente e a condição de vida da maioria da população é difícil. O nosso governo, tentando manter a população calma e evitar que as massas se rebelem criou o “Bolsa Família”, entre outras bolsas, que engambela os economicamente desfavorecidos e deixa todos que recebem o agrado muito felizes e agradecidos. O motivo de dar dinheiro ao povo é o mesmo dos imperadores ao darem pão aos romanos. Enquanto fazem maracutaias e pegam dinheiro público para si, distraem a população com mensalidades gratuitas.

Estes programas sociais até fariam sentido se também fossem realizados investimentos reais na saúde, educação e qualificação da mão-de-obra, como cursos profissionalizantes e universidades gratuitas de qualidade para os jovens. Aquela velha frase “não se dá o peixe, se ensina a pescar” pode ser definida como princípio básico de desenvolvimento em qualquer sociedade. E ao invés dos circos romanos, dos gladiadores lutando no Coliseu, temos nossos estádios de futebol e seus times milionários. O brasileiro é apaixonado por este esporte assim como os romanos iam em peso com suas melhores roupas assistir as lutas nos seus estádios. O efeito político também é o mesmo nas duas épocas: os problemas são esquecidos e só pensamos nos resultados das partidas.

A saída desta dependência é a educação, e as escolas existem em nosso país, mas há muito que melhorar. Os alunos deveriam sair do Ensino Médio com uma profissão ou com condições e oportunidades de cursar o nível superior gratuitamente, e assim garantir seu futuro e de seus descendentes. Proporcionar educação de qualidade é um dever do estado, é nosso direito, mas estamos acomodados e acostumados a ver estudantes de escolas públicas sem oportunidades de avançar em seus estudos, e consideramos o nível superior como algo para poucos e privilegiados (apenas 5% da população chega lá). Precisamos mudar nossos conceitos e ver que nunca é tarde para exigirmos nossos direitos.

Somente com educação e cultura os brasileiros podem deixar de precisar de doações e assim, se desligar desse vínculo com o “pão e circo”, pois estes são os meios para reduzir a pobreza. Precisamos de governos que não se aproveitem das carências de seu povo para obter crescimento pessoal, e sim que deseje crescer em conjunto.